"porque pra cada mão há uma luva, pra cada pingo um guarda-chuva...

porque para cada amor, há sempre um alguém nas medias certas... mesmo que seja gota por gota..."



segunda-feira, 30 de agosto de 2010

CUIDE BEM DO MEU CORAÇÃO....

E mais uma vez vou descobrindo...
um novo sorriso, o som da voz, a malicia no olhar, mais adiante o toque o cheiro, enfim...
me entregando aos pedacinhos, associando canções, sonhando, lembrando... querendo pra mim...
e vou descobrindo mais uma vez o sabor da entrega, da cumplicidade, do desejo, de ter alguem seu, mesmo que "ele" esteja longe...
e começa o frio na barriga sempre que o telefone toca, ou os sonhos acordados ao som das musicas de Ana... e em dias frios sei que pensarei em você... e em noites quentes também... e vou querer seu olhar malicioso e seu abraço apaixonado, e vou querer me entregar, enquanto você será meu... até que terá meu coração...
e me pergunto até quando vai durar, e se dessa vez vai ser "pra sempre", ou se o "pra sempre" vai acabar?
ou se seguiremos assim... você cuidando do meu coração... assim como cuidarei do seu...
Mesmo sendo um risco, arriscar é sempre preciso... e hoje aposto em nós... como nunca apostei antes...

domingo, 8 de agosto de 2010

QUERO DAR MINHA CUMPLICIDADE...

Cheguei bem cansada... mas não o bastante, pra não cumprir o que prometi... ler um e-mail que recebi, de alguem que estou começado a descobrir...
uma extensa crônica que falava de amor...
Entra uma brisa fria pela janela, a noite calada, um cheiro convidativo de orvalho divide com a brisa o silencio incomum...
Fiquei imaginando o que passava com aquele coração, no momento em que as mãos trabalhavam, será que seriam as mesmas ancias que povoam o meu???  não tenho como saber... mas algumas certeza tenho, queria agora pertencer a alguém, queria ser de alguem, queria doar e receber... daquele jeito que estava escrito... com todos os pontos e virgulas... parecia tão simples, como era simples... amar naquelas palavras... como parecia maravilhosa a ideia de dar minha cumplicidade e receber a de alguem...
desejei um coração pra ouvir batendo, um peito pra recostar e um olhar pra dividir... seria muito desejar tanto? Não na forma como estava escrita... visto que os amantes daquela crônica nunca teriam que pedir.. no máximo apenas receber...
As vezes receio em escrever tudo que penso... não sei se por preservação, ou se por medo de algum julgamento, mas agira acho que a coragem falou tão alto, que minha vontade é gritar na janela... eu quero amar... amar, so amar, de forma simples, descomplicada, verdadeira, intensa, incomum... eu quero poder ouvir eu te amo de bom dia, e quero poder dizer amo você como boa noite... sem me preoculpar se ele achará piegas ou clichê... sabendo apenas que irá receber e sentir...
E como canta Ana, em sua 'Que se danem os nós'... 

"Todo sentimento precisa de um passado pra existir... o amor não, ele cria como por encanto um passado que nos cerca, ele nos dá a consciência de havermos vivido anos a fio, com alguém que há pouco era quase um estranho... ele supre a falta de lembranças por uma espécie de mágica..."
A mágica que preciso essa noite...
O amontoado de palavras confesso, me fizeram de imediato querer desistir.. rs, (ainda bem que não o fiz), poucas vezes lí um tanto de palavras juntas... que dissessem tanto do que eu queria ouvir...

há tanto tempo...

sábado, 7 de agosto de 2010

E ELA TEM...

E ela divide aquele gosto doce de menina romântica, com um sabor ácido de mulher fatal...
e sabe como dizer que não... fazendo parecer que sim...
e olha despretensiosamente... com a mente cheia de intensões...

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

POR QUE EU SOU DO TAMANHO DO QUE EU PENSO, DO QUE AMO E SINTO...



E pra quem falar de amor?
E pra que?
Milhares de coisas povoam agora uma mente meio desacreditada de tudo que se pode referir a amar...
essa mistura de coisas de senssações, e a falta de norte e de caminhos pra um coração seguir...
e outras tantas dúvidas... em meio a algumas buscas e algumas desilusões...
e onde estão os amantes, aqueles que se mostram a toda maneira.. sem receios, sem medos sem pudores?
e fazem seu objeto amado se sentir desejado.. querido... abraçado... seu.. dele.. dela...
Não acredito na falta de amor das pessoas, não quero acreditar...
Não acredito no desapego pessoal, na banalidade sentimental... não posso acreditar...
e me recuso a entregar... o coração... a alguem que o jogue janela a fora... sem observar o conteúdo interno...
sem se importar...
Por que mesmo desacreditando... ainda assim...
ELE É DO TAMANHO DO QUE PENSO, DO QUE AMO E SINTO...