"porque pra cada mão há uma luva, pra cada pingo um guarda-chuva...

porque para cada amor, há sempre um alguém nas medias certas... mesmo que seja gota por gota..."



quarta-feira, 26 de maio de 2010

E O TEMPO NAO PÁRA...


" Meu Deus,
me dê cinco anos.
Me dê um pé de fedegoso com formiga preta,
me dê um Natal e sua véspera,
o ressonar das pessoas no quartinho.
Me dê a negrinha Fia pra eu brincar,
me dê uma noite pra eu dormir com minha mãe.
Me dê minha mãe, alegria sã e medo remediável,
me dá a mão, me cura de ser grande."

[Adélia Prado]

Quando a gente é criança, pode contar nos dedos quantas pessoas conheceu que já morreram. Um dia você cresce, e descobre que que os dedos já não são suficientes pra contar quantas vezes precisamos e ainda precisaremos lidar com a morte...
Me refiro a morte porque não consigo pensar em nada mais doloroso,
Hoje eu senti falta de tantas coisas minhas, coisas pequenas que fizeram parte do meu dia-a-dia, lembranças, olhares, abraços... Mas eu deveria saber que quando crescemos começamos a levar a vida nas costas, como se leva uma mochila – carregando, basicamente a vida – , não se deve apegar tanto aos momentos, as lembarnças, aos olhares ou abraços trocados, porque se o tempo não os leva, você acaba partindo e deixando-os para trás de qualquer jeito...
As vezes me pego pensando, no que eu tive e não tenho mais, e aí bate uma vontade incontrolável de reviver tudo, cada momento, mas já foi, passou… o tempo levou e não vai trazer de volta, e, no fundo, é bom que não traga, porque ele passa ligeiro, corre mais depressa que o ponteiro que marca os segundos e, por isso mesmo, é tolice viver preso ao passado que, como o próprio nome diz: passou...

[Roberta Simoni]

Nenhum comentário:

Postar um comentário